Descubra por que vale a pena visitar esses vulcões únicos

Links Rápidos Mauna Kea – Ilha do Havaí Vulcão Krenitsyn – Ilhas Curilas de Onekotan Em algumas culturas ao redor do mundo, os vulcões são considerados sagrados, e não...
Extinct volcanic craters in background from Mauna Kea summit


Links Rápidos

  • Mauna Kea – Ilha do Havaí
  • Vulcão Krenitsyn – Ilhas Curilas de Onekotan

Em algumas culturas ao redor do mundo, os vulcões são considerados sagrados, e não demora muito para entender o porquê. Os vulcões tendem a entrar em erupção quando a lava quente escapa da câmara de magma abaixo da superfície da terra. O magma geralmente é formado onde há o puling das placas tectônicas. Ele sobe à superfície da Terra, rompe a crosta e então a lava ardente flui para baixo.

Nos últimos dez anos, observou-se que houve um boom no setor de turismo vulcânico, pelo qual milhões de turistas visitam vulcões ativos e adormecidos. Existem cerca de 1500 vulcões ativos em todo o mundo que atraíram aventureiros e, consequentemente, deu origem a setores como o turismo de aventura. Muitos desses entusiastas de vulcões são chamados de ‘caçadores de lava’ que gostam de tirar fotos lendárias dos vulcões. Se alguém quiser testemunhar a fúria da mãe natureza e desfrutar de uma emocionante caminhada pelo vulcão, confira esses vulcões únicos que valem a pena visitar.

O VÍDEO DE VIAGEM DO DIA

Mauna Kea – Ilha do Havaí

Os moradores da Ilha Grande chamam este vulcão sagrado de Mauna O Wakea (Montanha de Wakea), que é o primogênito de Wakea (Pai Céu) e Papahānaumoku (Mãe Terra) na mitologia havaiana. Situado no centro norte da Ilha Grande, este vulcão adormecido é intitulado o segundo pico de vulcão mais alto da Terra, atingindo 14.000 pés. A última vez que o Mauna Kea entrou em erupção foi há cerca de 4500 anos. No passado, os antigos havaianos viviam nas encostas do vulcão e dependiam muito das florestas para se alimentar. Atualmente, os visitantes podem reservar um passeio e observar as estrelas no centro de visitantes. É um local perfeito para assistir a chuvas de meteoros. Há também o famoso Observatório Mauna Kea, equipado com 13 grandes telescópios. É aqui que o primeiro Super-Planeta foi descoberto.


Monte Bromo – Indonésia

Além de suas praias sublimes e locais culturais, a Indonésia também é conhecida por seu famoso Monte Bromo, um vulcão Somma ativo escondido no leste de Java, bem no Parque Nacional Bromo Tengger Semeru. Um vulcão Somma é uma caldeira vulcânica parcialmente preenchida por um novo cone central. A altura do pico do vulcão é de cerca de 2.329 metros (7.641 pés). Historicamente falando, este local vulcânico já foi usado como área de sacrifício pelas antigas divindades da mitologia indonésia. Hoje, os visitantes podem ter um belo vislumbre das vistas do nascer ou do pôr do sol. Alguns também puderam ver a Via Láctea durante a estação seca.


Relacionado: Bend: a base perfeita do Oregon para explorar vulcões e florestas nacionais

Monte Teide- Tenerife

Tenerife é a terra dos Guanches, que eram os habitantes indígenas das Ilhas Canárias no primeiro milênio aC. A ilha não é apenas visitada pelas suas praias ou eventos culturais como o Carnaval de Santa Cruz, mas também pelo seu marco icónico, nomeadamente o Monte Teide. Localizado no meio da ilha, o vulcão de 12.000 pés é o vulcão mais alto do território espanhol. Existem muitos mitos relacionados a este vulcão. Acredita-se que o historiador grego Heródoto o chamou de “o Pilar do Céu”, enquanto outros o considerariam um dos antigos remanescentes da Atlântida afundada. Curiosamente, o vulcão é cercado pelo Parque Nacional do Teide, da UNESCO, que é um dos principais destaques da atração. Há também o Observatório do Teide, que é um importante observatório astronômico internacional empoleirado nas encostas da montanha.


  • Como alcançar: A maneira mais fácil de chegar ao cume é pegar o teleférico até a estação superior. A passagem custa R$ 42.

Vulcão Krenitsyn – Ilhas Curilas de Onekotan

Aninhado no noroeste do Oceano Pacífico, perto das Ilhas Curilas, o vulcão Krenitsyn é um vulcão surreal que fica majestosamente no centro do Lago Koltsevoye. É um vulcão ativo na ilha Onekotan, que foi habitada pelo povo indígena Ainu, que acabou deixando o local por sua natureza inóspita. Os caminhantes terão que trazer um facão para cortar a vegetação densa para chegar à borda da caldeira Tao-Rusyr. Ao longo do caminho, ainda é possível avistar as cabanas indígenas. Outra maneira de explorar a área é navegando ao redor do Lago Koltsevoye em uma lancha.


  • Ponto mais baixo: 1640 pés
  • Ponto mais alto: 4344 pés

Relacionado: Visite estes países para experimentar o surf de vulcão (e areia)!

Monte Etna – Sicília

O Monte Etna é o estratovulcão mais ativo do mundo, situado na costa leste da Sicília, na Itália. Um estratovulcão (também chamado de vulcão composto) é basicamente um vulcão cônico que foi construído por muitas camadas de lava endurecida e tefra. Ao longo dos anos, esta região vulcânica foi visitada principalmente por entusiastas de vulcões que podem acessar o cume de 9.580 pés dirigindo, andando de bicicleta ou pegando um teleférico. A bela paisagem aqui é harmoniosamente contrastada pela montanha branca coberta de neve, deserto cor de cinza e terra fértil espalhada por vinhas e florestas verdes. Existem muitas trilhas para caminhadas, mas quem optar por um passeio de lazer pode optar pela Ferrovia Circumetnea, que é uma viagem de três horas.

  • Ponto mais alto: 10.912 pés
Categorias
Turismo

RELACIONADOS